NOTÍCIAS DA REPÚBLICA

Tomislav R. Femenick
O Jornal de Hoje. Natal, 29 set. 2003

 

Foi manchete de toda a imprensa, com direito a inserção no Jornal Nacional e tudo o mais. Saiu até em alguns órgãos de destaque da imprensa do primeiro mundo. Foi notícia. A senhora Marta Tereza Suplicy, prefeita de São Paulo, casou-se com o sr. Felipe Belisario Wermus, também conhecido como Luiz Favre, em ato que teve como testemunha, entre outros, o casal Luiz Inácio Lula da Silva e senhora. A festa foi bonita, houve chuva de rosas e arroz etc. e tal. Uma notícia corriqueira, igual a muitas outras de igual gênero, não fossem os nubentes e os convidados para a festa importantes figuras desta nossa República. Aqui vamos fazer uma pausa para falar de outro assunto. Depois voltarmos ao casamento de D. Marta e seu Luiz.

Nós, os brasileiros, temos uma compreensão meio destorcida da origem do dinheiro do governo. Esse ente, o governo (federal, estadual ou municipal), na verdade não possui renda nenhuma. Ele se apropria legalmente, toma por força de lei, uma parte do que as pessoas produzem, usando meios diretos ou indiretos. No primeiro caso está, por exemplo, os tributos descontados em Folha de Pagamento: o Imposto de Renda e a Contribuição para o INSS, bem como a CPMF, todos bastante visíveis e pesados nos nossos bolsos. Porém há outras formas do governo tomar (legalmente) o nosso dinheiro. Sempre que nós compramos um quilo de feijão, um litro de gasolina, um tijolo, um remédio etc., uma parte do que pagamos ao lojista é imposto; ICMS, IPI, ISS e vários outros (no Brasil há mais de 60 tipos de tributos). O que vale ressaltar é que estamos incluídos entre os povos que mais pagam impostos. Se no final do governo passado tiravam do nosso bolso mais de R$ 35,00 de cada R$ 100,00 que ganhávamos, agora estão dizendo que tiram mais de R$ 40,00 ? essa foi uma notícia que correu pelos jornais, revistas, rádios e TV do país, há cerca de dois ou três meses. Ora é com esse dinheiro que o governo tira de nós que ele paga as suas contas referentes aos salários dos funcionários públicos, a construção e manutenção de estradas, hospitais, escolas, faz a cobertura do déficit do INSS, paga os juros e uma infinidade de outros gastos, entre eles as caras campanhas publicitárias e de relações públicas, realizadas sob o disfarce de prestar conta ao povo mas que, na verdade, fazem propaganda dos governantes, quaisquer que sejam eles, pois essa não foi uma invenção do PT, do PSDB, do PFL, do PSB ou de qual partido de plantão. Vamos fazer uma outra pausa para divagação.

O governo federal, dirigido pelo sr. Luiz Ignácio Lula da Silva, o ex-metalúrgico e padrinho de casamento do casal Marta-Luiz Favre, contratou a agência de publicidade do sr. Duda Mendonça para ser uma das encarregadas de fazer a apologética, dizer louvores, da administração federal, ao custo de R$ 100 milhões. Isso também foi noticiado e comentado pela imprensa escrita, falada e televisiva (como se dizia antigamente). Governo contratar empresas de publicidade para fazer suas campanha é coisa normal. O que causa estranheza é o fato de o sr. Duda ser o ?marketeiro? do próprio PT, para a campanha eleitoral de 2004. Para algumas pessoas menos atentas, este pode até parecer um ato normal, até que se alerte para o perigo de se tornar o governo em uma mera extensão do partido que o elegeu, isto por que os partidos nunca devem ?ser? o governo, pois eles apenas podem ?está? no governo. O que diferencia a República das outras formas de governo é que nela o governo é ?res publica?, coisa pública, de todos e não só de alguns, portanto não pode ser somente do partido que ?está? no governo. O ético, e o PT sempre se disse um partido eminentemente ético, é não confundir a apologia do governo de Lula, com a do partido de Lula. Ele mesmo já disse, por varias vezes, que não é presidente somente dos petista, mas o presidente de todos os brasileiros ? e não há por que não acreditar nele.

Para completar o quadro. Desde que chegou ao Brasil, o sr. Luiz Fevre não teve nenhuma forma conhecida de ganhar o seu viver, mas sempre manteve um alto padrão de vida. E ele ? que traz em seu currículo várias facetas, tais como militância na esquerda trotskista, quatro casamentos, quatro filhos (um de cada casamento), hospedeiro da filha de Lula em Paris, amigo dos socialistas franceses, apreciador de bons vinhos, de boa culinária e de opera ? não concluiu o segundo grau. Mas isso é irrelevante. O nosso presidente também não, nem por isso deixa de ser um bom presidente. O que é estranho é que, agora, quase que como um presente de casamento, o esposo de D. Marta Tereza Suplicy ganhou um emprego na empresa do senhor Duda Mendonça e vai ganhar R$ 20.000,00 por mês e mais comissões. Esse foi outro fato que virou notícia.

Não fosse o PT o partido ?no? governo e que tem uma história de respeito à ética, daria para pensar que o dinheiro que sai do nosso bolso e vai para o governo seria repassado ao Duda, que é o ?marketeiro? do PT, e terminaria no bolso do Luiz, que é o marido de D. Marta, prefeita de São Paulo, eleita pelo PT e descendente direta do barão Jaime Smith de Vasconcelos, destacado membro da corte de D. Pedro II. Sinceramente, por mais bizarra que seja essa corrente de notícias, eu não faço essa ilação.