Custo ABC

Este texto nada mais é do que a reunião de apontamentos de aulas e não deve ser tomado como base principal para o estudo da matéria. Para um aprendizado correto nada substituiu o livro didático. Em cada texto há a bibliografia que recomendamos para que o aluno tenha o perfeito conhecimento da disciplina.

ABC – CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES

NAKAGAWA, Masayuki. ABC: custeio baseado em atividade. São Paulo: Atlas, 1994 (p. 11 e seguintes).

O custeio ABC (Activity Based Costing) vem se impondo recentemente como sistema de controle dos custos, graças aos seguintes principais fatores:

a) Como conseqüência da globalização e das inovações tecnológicas nas áreas de informática e de comunicações, que permitiram rápida e extraordinária mudança no perfil da demanda e oferta de bens e serviços em nível mundial.
b) Além de terem que adotar internamente os princípios da economia de escala, as empresas agora têm que enfrentam concorrentes inseridos no cenário de mercado global (que lutam por menores custos), para poderem oferecer menores preços de venda.
c) Para sobreviver neste cenário, as empresas têm que adotar uma nova forma de análise de custos.

Entretanto, o sistema ABC não é um sistema de acumulação de custos para fins contábeis, em substituição aos já existentes. Os métodos tradicionais de custeio (custeio por quantidade produzida, por absorção ou variável), têm suas áreas próprias e específicas de eficácia e são absolutamente insubstituíveis.

Alguns fatores complementares empurram as empresas para o custeio ABC, entre eles: a redução do ciclo de vida dos produtos, a proliferação de linhas de produtos e serviços, a competição entre as empresas em nível global e a explosão tecnológica. Neste contexto, o que se observa é que cada vez mais ganha importância a economia projetada, adicionalmente à economia de escala.

A resposta das empresas diante deste quadro tem sido:

a) Redução do tempo gasto nas etapas de projeto, produção e entrega de produtos e serviços.
b) Eliminação de desperdício.
c) Redução de custos, através do uso eficientes dos recursos da empresa.
d) Aperfeiçoamento contínuo da qualidade dos produtos e serviços.
e) Melhoria no atendimento aos clientes externos e internos.
f) Mudança na cultura organizacional.
g) Fomento às inovações tecnológicas.

ABC ACTIVITY BASED COST

PRICE WATERHOUSE. ABC: activity based cost, in Custo como ferramenta gerencial. Conselho Regional de Contabilidade de SP. São Paulo: Atlas, 1995 (p. 15 e seguintes).

Uma empresa é um conjunto de atividades, cada uma composta por tarefas que transformam os recursos da organização, sejam estes mão-de-obra ou outros insumos (custos e despesas) que devem agregar valor aos produtos. Então, a partir da análise da relação custo x benefício da atividade dos vários processos e dos custos de cada atividade, é possível avaliar a eficácia da empresa. Portanto, a empresa nada mais é que a soma das atividades desempenhadas por cada um dos seus vários processos (compra, produção e venda por exemplo) e dos seus produtos, que nada mais são do que o somatório do custo das matérias-primas que os compõem, adicionado aos custo das atividades realizada para sua confecção.

Para formar o seu sistema de custo, a empresa tem como as melhores fontes de informação o mercado (fornecedor de seus insumos e comprador de seus produtos) e o seu próprio sistema de análise de custos. O primeiro evidencia a preferência dos consumidores; o segundo demonstra a eficiência (ou ineficiência) da empresa na gestão dos seus recursos. Entretanto os sistemas convencionais de custeio, que simplesmente lançam as despesas em contas dos centros de custos, não mais propiciam as informações necessárias para responder a questões como:

a) Qual é o custo real de cada produto?
b) Quais produtos/clientes são lucrativos e quais geram prejuízos?
c) Qual é a margem de contribuição de cada produto?
d) Quais processos compõem o negócio e qual seu custo?
e) Quais são os ganhos obtidos com iniciativas de melhoria?
f) Existem atividades alternativas às que hoje compõem cada processo que gerariam maiores ganhos?

A administração dos custos diretos (voltada para uma produtividade máxima) e o controle sobre os custos indiretos (que hoje são muito mais significativos), são a base para a metodologia de apuração de custeio baseado em atividades (ABC), que facilita consideravelmente a análise do negócio por processos e elimina a aleatoriedade dos critérios de rateio atualmente usados. Vejamos um exemplo comparativo dos dois sistema, o tradicional e o ABC:



Alguém nos encontrou com os seguintes termos de pesquisa:

  • custeio abc