Controladoria e Auditoria de Estoques: para Negócios Globalizados

Tomislav R. Femenick
Curitiba: Juruá, 2011

A LÓGICA E O SABER CONTÁBIL

Uma característica do processo evolutivo das ciências, principalmente quando ele atinge um patamar mais alto, é que as suas ações criativas, seus estudos e pesquisas, assumem uma postura de exclusão de ações aleatórias, quaisquer que sejam elas. Por isso é que a lógica contábil está, cada vez mais, se direcionando para o aprimoramento das suas assertivas, de suas proposições, criando áreas de especialização em que a atuação do profissional contábil é indispensável.

Vários são os fatores que impulsionaram as Ciências Contábeis nesse caminho. Em primeiro lugar, o extraordinário crescimento e a internacionalização dos negócios, que nos tempos atuais desconhecem as fronteiras, trouxe para o convívio de cada povo as experiências e o comportamento das outras nações, inclusive em termos de registro de atos e fatos das empresas, a análise econômica, gestão de empreendimento, controladoria, auditoria e perícia contábeis.

Negócios iguais exigem registros, análise, gestão, controle e auditoria também iguais. Daí surgiram as ações nacionais que visam a uniformização de um parâmetro contábil internacional que atendam as necessidades globais, sem desprezar as peculiaridades de cada região, de cada país. Em um mundo globalizado, a linguagem contábil deve ser entendida e exercida por todos os povos – não como imposição, mais como convergência da lógica científica.

Profissional de Auditoria Contábil com larga experiência, inclusive gerenciando e/ou supervisionando trabalhos executados no exterior, além de professor da matéria, seus papers e livros nas áreas de estoque tem sido usados como base para diversas dissertações de mestrados e teses de doutorado em Ciências Contábeis, Economia e Administração, em universidades de quase todos os estados do país, o que comprova a seriedade com que o professor Tomislav Femenick elabora sua obra acadêmica.

Este livro é mais um passo nessa direção, e pode ser tido como um aperfeiçoamento e atualização de seus estudos anteriores. Alguns capítulos – tais como Considerações sobre a rubrica estoques, A contabilização dos estoques em ambiente de mercado globalizado, Normas internacionais de contabilização de estoques, Princípios e técnicas usados na contagem de estoques, Sincronismo temporal nas verificações dos estoques, com o uso do “cut-off”, Princípios e técnicas usados na contagem de estoques e Ajustes por redução de valor ou perdas em estoques – têm uma aborgadem quase que eminentemente gerencial, de Controladoria. Enquanto isso, outros – entre eles O planejamento da auditoria, Considerações gerais sobre a auditoria de estoques, Participação do auditor na elaboração do projeto e na realização do inventário, Responsabilidade do auditor no levantamento dos estoques, Auditoria rotativa dos estoques (contagem cíclica) e Auditoria e a evidência do valor realizável líquido dos estoques – se concentram na atividade de auditoria.

Todavia, em todos eles há um benfazejo entrelaçamento, em que Controladoria e Auditoria se encontram, no intuito de otimizar o profissão contábil. Um aspecto que não poderia deixar de abordar é a técnica e a forma de exposição usada pelo autor. Além de extremamente cuidadoso com as suas pesquisas (contemplou todas as atualizações legais e normativas), seu texto é de leitura perfeitamente compreensível até para os profissionais de outras áreas. Aliás, se costuma dizer que ele escreve fácil sobre temas difíceis. O professor Hilário Franco – com quem Tomislav trabalhou na diretoria do grupo de auditores Deloitte/Revisora Nacional – costumava dizer que sua escrita é “concisa, direta, sem acessórios, porém completa”. É assim que vejo este livro: completo na abordagem dos assuntos necessários à compreensão do tema, coeso na abrangência, enxuto na forma de explanação e tudo isso com uma linguagem que atrai o leitor e que espelha sua experiência de jornalista desde os treze anos de idade.

Por todas essas peculiaridades, este livro será de inigualável utilidade tanto para os profissionais de Auditoria e gestão empresarial, como para os professores e alunos dessas matérias. Os profissionais para que eles confirmem ou alterem seus procedimentos; os professores para que eles ratifiquem ou retifiquem seu entendimento e pratica de ensino; os alunos para que eles aprendam métodos corretos de tratamento de um dos itens mais importantes do ativo das empresas: os estoques. Importantes e relevantes, porém controversos, a começar pela interpretação do que seja estoques, a forma como forma-los, guarda-los, medi-los, valoriza-los, a “sensibilidade” dessa rubrica para a formação dos lucros das empresas etc. Mais uma vez temos constatada a importância deste novo livro do mestre Tomislav R. Femenick.

Maria do Rosário de Oliveira – Membro do CFC – Conselho Federal de Contabilidade

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
Capítulo 1 – CONSIDERAÇÕES SOBRE A RUBRICA “ESTOQUES”
1 Conceitos
1.1 Conceito legal
1.2 Conceito fiscal
1.3 Conceito financeiro
1.4 Conceito contábil
1.5 Conceito gerencial
2 Dimensionamento dos estoques
2.1 Giro dos estoques
2.2 Lotes econômicos
2.3 Estoques mínimos
2.4 Eliminação de perdas
Capítulo 2 – A CONTABILIZAÇÃO DOS ESTOQUES EM AMBIENTE
DE MERCADO GLOBALIZADO
1 O Contexto
2 O novo paradigma
3 As práticas e as normas contábeis
4 A cadeia de suprimento
5 As normas contábeis sobre estoques
Capítulo 3 – NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIZAÇÃO DE
ESTOQUES
1 Velhos parâmetros & novos paradigmas
2 Não há normas globais
2.1 International Accounting Standards Board (IASB)
2.2 The Financial Accounting Standards Board (FASB)
3 Regulações sobre estoques
3.1 IAS 2 – Inventário (Estoques)
3.2 US SFAS 151 – Estoques
3.3 NBC TG 16 (NBC T 19.20) – Estoques
Capítulo 4 – O PLANEJAMENTO DA AUDITORIA
1 Formulações que antecedem o planejamento de auditoria
2 O planejamento da auditoria
3 Aspectos conceituais do planejamento da auditoria de estoques
4 Aspectos normativos do planejamento da auditoria de estoques
5 Aspectos do processo de planejamento da auditoria de estoques
6 Relacionamento com o cliente
7 Elaboração do programa de auditoria de estoque
Capítulo 5 – CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AUDITORIA DE
ESTOQUES
1 Verificação das transações
2 Inventário físico
Capítulo 6 – PARTICIPAÇÃO DO AUDITOR NA ELABORAÇÃO DO
PROJETO E NA REALIZAÇÃO DO INVENTÁRIO
1 Acompanhando o projeto de inventário
1.1 A evidência da relevância
1.2 Os riscos do inventário
2 Conhecer o cliente e seus sistemas
3 A amplitude do projeto de inventário
4 Contagem e avaliação dos estoques
5 Participação do auditor na contagem física dos estoques
Capítulo 7 – SINCRONISMO TEMPORAL NAS VERIFICAÇÕES DOS
ESTOQUES COM O USO DO CUT-OFF
1 Conceitos sobre o cut-off
2 Considerações sobre a auditoria dos estoques
3 Auditoria de estoques e cut-off
4 Considerações finais sobre o cut-off
Controladoria e Auditoria de Estoques 13
Capítulo 8 – PRINCÍPIOS E TÉCNICAS USADOS NA CONTAGEM DE
ESTOQUES
1 Objetivos, planejamento e controles internos
1.1 Objetivos
1.2 Planejamento
1.3 Controle interno
2 Técnicas de contagem dos estoques
2.1 Sistema periódico de contagem
2.2 Sistema permanente de contagem
3 Assertivas
Capítulo 9 – RESPONSABILIDADE DO AUDITOR NO LEVANTAMENTO
DOS ESTOQUES
1 Nos Estados Unidos
1.1 Reflexo da Lei Sarbanes-Oxley em empresas brasileiras
1.2 Reflexos da Lei Sarbanes-Oxley sobre os estoques
2 Na União Europeia
3 No Brasil
3.1 Responsabilidade profissional
3.2 Responsabilidade civil
3.3 Responsabilidade penal
3.4 Responsabilidade fiscal
4 Responsabilidade do auditor independente na verificação dos estoques
5 A responsabilidade do auditor e o sistema de levantamento dos estoques
6 Responsabilidade solidária
Capítulo 10 – ITENS OBSOLETOS, DANIFICADOS, DEFASADOS TECNOLOGICAMENTE
E OUTROS
1 A condição dos estoques
1.1 Itens obsoletos
1.2 Produtos danificados
1.3 Itens defasados tecnologicamente
1.4 Refugos
1.5 Subprodutos
1.6 Sucatas
2 Procedimentos da auditoria externa
3 Contabilização de bens obsoletos, danificados e defasados tecnologicamente
e outros
4 Apontamentos da auditoria
14 Tomislav R. Femenick
Capítulo 11 –AUDITORIA ROTATIVA DOS ESTOQUES (CONTAGEM
CÍCLICA)
1 O método de contagem rotativa
2 Procedimentos do cliente
3 Procedimentos do auditor
3.1 Contagem cíclica e validação da amostragem
3.2 Aceitação da contagem cíclica
Capítulo 12 –AUDITORIA E A EVIDÊNCIA DO VALOR REALIZÁVEL
LÍQUIDO DOS ESTOQUES
1 Custo e valor
2 Custo histórico
3 Custo de realização
3.1 Normativa contábil
3.2 Normativa fiscal
4 Procedimentos básicos utilizados pelo auditor na avaliação dos estoques
4.1 Procedimentos preliminares
4.2 Procedimentos de avaliação
Capítulo 13 –AJUSTES POR REDUÇÃO DE VALOR OU PERDAS EM
ESTOQUES
1 Procedimentos técnicos
2 Constituição de contas para ajuste por redução ao valor de mercado e
por perdas em estoque
2.1 Procedimentos contábeis para ajuste por redução ao valor de mercado e ajuste por perdas em estoque
3 Aspecto fiscal
4 Procedime

ntos de auditoria
REFERÊNCIAS
ANEXOS
ÍNDICE ALFABÉTICO



Alguém nos encontrou com os seguintes termos de pesquisa:

  • controladoria de estoque