Auditoria de Estoques

Tomislav R. Femenick (Coor.) 
Natal: Farn, 2005.

Apresentação.
Prof. Daladier Pessoa Cunha Lima

1 – CONSIDERAÇÕES SOBRE A RUBRICA “ESTOQUES”.
Tomislav R. Femenick
1. Conceitos
a) Conceito legal
b) Conceito fiscal
c) Conceito financeiro
d) Conceito contábil
e) Conceito gerencial
2. Dimensionamento dos estoques
a) Giro dos estoques
b) Lotes econômicos
b) Estoques mínimos

2 – CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AUDITORIA DE ESTOQUES.
Tomislav R. Femenick
1. Verificação das transações
2. Inventário físico

3 – PARTICIPAÇÃO DO AUDITOR NA ELABORAÇÃO DO
PROJETO E NO LEVANTAMENTO DOS ESTOQUES.

Tomislav R. Femenick, Ana Angélica da Escóssia Araújo, Antônio José de Andrade Júnior, Francisco Canindé de Andrade, Hélicon Apolônio da Câmara Galvão e Ludmylla Cristina Lima da Silva
1. Planejamento da Auditoria
1.1. A relevância
1.2. O risco
2. Planejamento da Auditoria de estoques
3. Amplitude do planejamento da auditoria de estoques
4. Contagem e avaliação dos estoques
5. Participação do Auditor na contagem física dos estoques
6. Conclusão

4 – SINCRONISMO TEMPORAL NAS VERIFICAÇÕES DOS ESTOQUES, COM O USO DO “CUT-OFF”.
Alan Magalhães Amorim. Pesquisadores: Fabrício Cláudio Motta de Andrade, Ilana do Nascimento Rego, Rogério Ferreira de Medeiros e Thiago Bessa de Magalhães Soares
1. Conceitos
2. Considerações sobre a Auditoria dos estoques
3. Auditoria de estoque e cut-off
4. Considerações finais

5 – PRINCÍPIOS E TÉCNICAS USADOS NA CONTAGEM DE ESTOQUES.
Tomislav R. Femenick, Ariadna Mariana Silva Correia, Celyanne da Silva Bezerra, Daniela Rodrigues Ramalho e Leandro Lúcio Cavalcante Viana
1. Objetivos, planejamento e controles internos
1.1. Objetivos
1.2. Planejamento
1.3. Controle Interno
2.Técnicas de contagem dos estoques
2.1. Sistema periódico de contagem
2.2. Sistema permanente de contagem
3. Conclusão

6 – RESPONSABILIDADE DO AUDITOR NO LEVANTAMENTO DO ESTOQUES.
Tomislav R. Femenick. Pesquisadores: Augusto César Bezerra Campos, Kleyton Basílio Chacon, Rafael Ferreira de Souza, Rafael de Prada Macedo Costa e Weiner Kiney Lima da Silva
1. Uma visão geral
1.1. Nos Estados Unidos
1.2. Na União Européia
2. A responsabilidade do Auditor no Brasil
2.1 Responsabilidade profissional
2.2 Responsabilidade civil
2.3 Responsabilidade penal
2.4.Responsabilidade fiscal
3. Responsabilidade do Auditor Independente na verificação dos estoques
4. A responsabilidade do Auditor e o sistema de levantamento dos estoques
5. Conclusão

7 – AUDITORIA DE ESTOQUES: ITENS OBSOLETOS,
DANIFICADOS E DEFASADOS TECNOLOGICAMETE.

Adriane Amélia de Medeiros, Eliomar Gomes Pinheiro, Silvia Regina Pereira da Silva, Walber César Melo da Rocha e Yara Magaly Albano Soares
1. Procedimentos da empresa
2. Procedimentos da Auditoria Externa
3. Contabilização de bens obsoletos, danificados e defasados tecnologicamente
4. Provisões para perdas em estoques
5. Considerações finais

8 – AUDITORIA ROTATIVA DOS ESTOQUES (CONTAGEM CÍCLICA).
Antônio Augusto de Alencar Fernandes, Cláudio César Formiga Barbosa, Kainara Wanderlea Dantas de Oliveira, Kathy Karina Dantas Barbosa e Roberta Kely Gonçalves Guedes Borges
1. O método de contagem rotativa
1.1. Roteiro para execução
1.2. Auditoria e a contagem rotativa
2. Conclusão

9 – EVIDÊNCIA DO VALOR REALIZÁVEL DOS ESTOQUES E AUDITORIA EXTERNA.
Cássia Ricardina Pereira, Josefa Arioene Medeiros Dantas, Maria da Conceição Matos dos Santos de Azevedo, Maria de Lourdes de Medeiros, Maria Gorete Tavares de Moura e Mariana Guerra Marinho
1. Considerações Iniciais
2. O valor de saída dos estoques
3. Conceito de estoque
4. Definição de estoques
5. Classificação dos estoques
6. Estoques deteriorados, obsoletos ou de lenta rotação
7. Procedimentos básicos utilizados pelo Auditor na avaliação dos estoques
7.1 Procedimentos para o “cut-off”
7.2. Avaliação dos Inventários
7.3 Objetivos da Auditoria dos estoques
7.4. Finalidades e objetivos da mensuração e da avaliação dos estoques
7.4.1. Valor realizável líquido
7.4.2. Bases de mensuração do estoque
7.4.5.Valor realizável líquido menos uma margem normal ou “custos futuros de entrada descontados”
7.4.6.Complexidade do desembolso com base no conceito de valor realizável líquido
8. Avaliação de estoques
8.1. Valor de realização
9.Conclusão

ANEXOS
PLANEJAMENTO DA AUDITORIA – REGULAMENTAÇÃO
PLANEJAMENTO DA AUDITORIA EM ESTOQUES – MODELO
AVALIAÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS – REGULAMENTAÇÃO
AVALIAÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS -MODELO

 



Alguém nos encontrou com os seguintes termos de pesquisa:

  • auditoria de estoques-conceito